Discussão acaba e Maia deixa votação da Previdência para esta quarta

Requerimento para barrar tramitação foi derrotado por 331 a 117, indicando que governo tem votos suficientes para aprovar reforma na Câmara

Igo Estrela/MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 10/07/2019 0:52

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), encerrou a sessão de terça (09/07/2019) na madrugada desta quarta-feira (10/07/2019) após pouco mais de oito horas de duração. O deputado convocou um novo encontro no plenário para esta manhã, prevista para às 9h, quando o colegiado analisará o texto-base da reforma da Previdência e os destaques à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/2019.

A oposição obstruiu a primeira sessão que analisa a reforma e promete seguir pelo mesmo caminho na quarta. Mesmo assim, o governo conseguiu articular para dar celeridade aos trabalhos. Isso porque o requerimento de inversão de pauta foi rejeitado pelo plenário com 331 votos a favor e 117 contra. Além de demonstrar a adesão dos congressistas à PEC, a proposição prejudicou, automaticamente, outros cinco textos dos oposicionistas que pediam adiamento de sessão.

Depois disso, Maia iniciou o período de discussão da reforma. Quando foi analisar o pedido de encerramento de discussão, entretanto, um artigo baseado no regimento interno estava errado. Por isso, o presidente deixou que parlamentares discutissem por mais um tempo até que ele próprio determinasse o fim dos debates. Com 353 votos a favor e 118 contra, congressistas votaram pelo encerramento da sessão.

Maia passou o dia se reunindo com líderes partidários para chegar a um acordo em torno da tramitação da PEC na Casa. Ele tentou um entendimento com a oposição, para não obstruir a votação e conceder cinco horas de debates. Entretanto, o grupo recusou e vai testar a adesão do governo entre os deputados durante a apresentação do kit obstrução.

Outra tentativa de acordo foi com os governistas. Maia queria blindar o texto do relator da proposta, Samuel Moreira (PSDB-SP), de destaques, entretanto ao menos dois partidos do Centrão irão apresentar sugestões ao texto. O PL quer alterar as regras de aposentadoria para professores enquanto o Podemos pretende apresentar novamente a proposição relativa às normas dos integrantes de segurança pública.

Últimas notícias