*
 

A rejeição do relatório que recomendava a aceitação da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB-SP) por corrupção, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, contou a participação de deputados do Distrito Federal. No total foram 40 votos contra, 25 a favor e uma abstenção.

Os representantes do DF Ronaldo Fonseca (PROS), Rogério Rosso (PSD) e Laerte Bessa (PR) votaram contra o relatório elaborado pelo deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ).

Rogério Rosso, que presidiu a comissão do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), explicou ao Metrópoles os motivos que o levaram a votar contra o prosseguimento da investigação sobre Temer. “A denúncia foi bem formulada, porém o relatório do deputado Zveiter foi muito falho tecnicamente na opinião do partido e da bancada. Segui a orientação partidária”, resumiu.

Pelas redes sociais, Ronaldo Fonseca justificou o voto contrário à denúncia. “Votei contra por ser juridicamente inepta e no juízo político faz impossível eleições diretas, o que defendo….”, postou no Twitter. Pouco antes, o deputado já havia dado pistas de seu posicionamento: “180 dias de afastamento do presidente destrói toda possibilidade de eleições diretas,apenas um remendo que prejudicará a nação”.

Mesmo com a rejeição, a denúncia será analisada no plenário da Câmara dos Deputados. No entanto, o resultado da CCJ indica o posicionamento dos parlamentares sobre a acusação formalizada pelo procurador Rodrigo Janot, baseada nas delações de dirigentes da empresa JBS.

Confira o placar com todos os votos: