Carlos Bolsonaro diz não querer chefiar Secom: “Se quisesse, o teria”

Filho do presidente, vereador pelo Rio afirmou, por um post no Twitter, que seu único interesse é apenas ver o Brasil dar certo

Divulgação/Câmara Municipal do Rio de JaneiroDivulgação/Câmara Municipal do Rio de Janeiro

atualizado 30/04/2019 12:09

O vereador pelo Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (PSC) afirmou não ter interesse em chefiar a Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom). Em post feito em sua página do Twitter, o filho do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), disse: “se eu quisesse um ministério assim, o teria”.

Atualmente, a Secom é comandada pelo empresário Fábio Wajngarten, mas submetida às ordens do general Carlos Alberto dos Santos Cruz, ministro da Secretaria de Governo.

Em abril, o general foi alvo de críticas do guru presidencial, Olavo de Carvalho. O escritor afirmou que Santos Cruz nunca fez nada contra a “hegemonia comunopetista”.

“Nada. Nada, nunca. Ele ganhou seu emprego por meio de uma luta à qual não deu a menor contribuição. Esse homem não sabe de onde veio nem para onde vai”, completou Olavo.

Últimas notícias