Categorias: Política

Bolsonaro usa caso Ana Hickmann para apoiar pacote anticrime de Moro

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) se referiu a um caso de violência relacionado à apresentadora Ana Hickmann para defender o pacote anticrime proposto pelo ministro da Justiça, Sergio Moro. O exemplo foi usado durante uma transmissão ao vivo, nesta quinta-feira (08/08/2019), com a participação do ministro.  

Bolsonaro lembrou que o cunhado da apresentadora matou a tiros o homem que a fazia refém em um hotel de Belo Horizonte (MG), em maio de 2016. Gustavo Correa foi acusado de homicídio e passou por julgamento.

O presidente e o ministro divergiram se Correa disparou três ou seis vezes contra o suspeito.”No meu entender, que fossem dez. Não tem problema nenhum”, pontuou Bolsonaro.

Moro explicou que, com base no projeto enviado ao Congresso, o excesso pode ser desconsiderado em casos de legítima defesa. 

“Tem que ser entendido que as pessoas não são exatamente máquinas. Então, quando alguém é atacado, como foi nesse caso, injustamente, a pessoa reage e, eventualmente, pode haver excesso. Mas a pessoa praticou aquele excesso em um momento de descontrole”, argumentou.

Se a proposta for aprovada, um juiz poderá deixar de aplicar a pena ou diminuí-la quando o acusado passar por situação de “medo, surpresa ou violenta emoção”.

Tramitação no Congresso
O presidente disse sua expectativa é para que os parlamentares avaliem a proposta e a coloquem em votação rapidamente. “Vamos tratar desse assunto com a velocidade e com a responsabilidade que todos nós devemos ter”, declarou. 

“Se me permitir uma correção, presidente: não é um projeto do Moro, é um projeto do governo Jair Bolsonaro, e é um projeto que interessa a sociedade em geral”, finalizou Moro.

Redução da maioridade penal
Em seguida, Bolsonaro afirmou que vai pedir ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para colocar em pauta a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que reduz a maioridade penal em casos de crimes hediondos, aprovada pela Câmara dos Deputados.

“Não era o que eu gostaria. Eu gostaria que passasse simplesmente para 16 anos e a maioridade seria a partir dessa idade”, disse o presidente. “[Mas] Se passar, é mais uma forma de deixar na cadeia essas pessoas”, completou.

Manoela Albuquerque

Formada em jornalismo pela Universidade Federal do Espírito Santo no ano de 2016, com passagem pela Universidade do Porto, em Portugal. Foi repórter por dois anos no G1 Espírito Santo e participou de projetos como o Monitor da Violência, premiado no Data Journalism Awards 2018. É uma das vencedoras do 35º Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo e do VII Prêmio República.

Últimas notícias

Jogos Mortais? Porradaria come solta no aniversário do Guanabara

Os descontos da rede de supermercados causaram filas gigantes, disputas por produtos e até agressões físicas entre os clientes

9 minutos passados

Bolsonaro parabeniza premiê português, do Partido Socialista

Presidente entregou uma carta a António Costa. Ele venceu o pleito no início do mês com a manutenção da coalizão…

15 minutos passados

Com decote gigante, Andressa Suita vai a show de Gusttavo Lima

Andressa apareceu com um vestido rosa, evidenciando os seios, e com um batom da mesma cor

18 minutos passados

“Delícia, gostoso”: Luana Piovani se derrete para novo namorado

A atriz compartilhou lembrança de viagem com Ofek Malka ao Mar Morto, em Israel

19 minutos passados

SPFW N48 reúne vários estilos no street style. Veja o que rolou!

Alfaiataria descolada, pegada utilitária, lingerie à mostra, chapéus, western, vibe futurista e animal print estão entre as escolhas

20 minutos passados

Marinha diz que governo cobrirá custos para limpar óleo de praias

Almirante de Esquadra e comandante de operações navais da Marinha, Leonardo Puntel, não deu números, mas afirmou que União fará…

35 minutos passados