*
 

Aliado de longa data do presidente eleito Jair Bolsonaro, o senador Magno Malta (PR-ES), derrotado nas urnas em busca da reeleição, é um dos cotados para assumir um novo ministério que integraria as pastas de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos. Nos bastidores, a nova pasta tem sido chamada de “Ministério da Família”, título que oficialmente a equipe de Bolsonaro diz não reconhecer. Malta esteve nesta quinta-feira na casa do capitão da reserva para uma conversa.

Bolsonaro, que sonhava ter o parlamentar como candidato a vice, tem reafirmado que não abre mão de ter a colaboração de Malta. As informações são do jornal O Globo.

A saída para o senador, segundo o presidente eleito tem conversado com interlocutores, é entregar a ele as atribuições desses dois ministérios. A avaliação é que a atuação de Malta à frente da CPI da Pedofilia o credencia para a função.

Bolsonaro demonstra intenção de levar o senador para sua equipe mesmo depois das críticas feitas pelo vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão. Na opinião do militar, Malta é um “elefante na sala”, por não ter sido reeleito e, agora, procurar uma vaga no futuro governo.