*
 

No Twitter e no Facebook, a briga não é polarizada apenas entre os eleitores e apoiadores dos pré-candidatos à presidência da República Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e Luís Inácio Lula da Silva (PT-SP). Os políticos líderes da corrida ao Palácio do Planalto em 2018 também mantém disputa nas redes sociais para saber quem tem mais seguidores e engajamento, qual dos dois publica mais conteúdos e alcança um público maior. E em outubro, pelo segundo mês seguido, deu Bolsonaro.

De acordo com levantamento realizado pela FSB Comunicação, o deputado federal é o pré-candidato ao Planalto mais influente nas plataformas de relacionamento, com nota 77, 21. Lula é o segundo colocado, com 71, 23. A diferença entre o petista e o congressista para os demais concorrentes é enorme. O senador Álvaro Dias (Podemos-PR), terceiro colocado, atingiu apenas 39,27 pontos.

O top cinco é completado pelo prefeito de São Paulo João Doria (PSDB-SP) e o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO). Aparecem ainda Marina Silva (Rede-AC), o atual presidente Michel Temer (PMDB-SP), Geraldo Alckmim (PSDB-SP), Ciro Gomes (PDT-CE), Luciana Genro (PSol-RS), Cristovam Buarque (PPS-DF), Fernando Haddad (PT-RJ), Rodrigo Maia (DEM-RJ), José Serra (PSDB-SP), Eduardo Jorge (PV-BA), Henrique Meirelles (PSD-SP) e Aécio Neves (PSDB-MG).

Confira abaixo a pontuação de cada um, de acordo com a pesquisa da FSB:  


Números

Ao todo, os 17 pré-candidatos à presidência da República tiveram 10 milhões de interações entre os dias 1º e 31 de outubro. Desse total, 32,2% dos conteúdos foram publicados no Facebook e 67,7%, no Twitter. Apenas Bolsonaro e Lula tiveram, juntos, quase 70%. Ou seja, de cada 10 postagens, sete foram nos perfis de Bolsonaro ou de Lula.

O senador Aécio Neves foi o último porque não posta conteúdos em suas redes sociais desde o dia 21 de setembro. Já o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, é o penúltimo, mas vale ressaltar que ele tem apenas Twitter, não fazendo postagens no Facebook.

 

 

 

COMENTE

lularedes sociaisbolsonaroeleições 2018influentes
comunicar erro à redação