Bolsonaro afirma que não pode interferir no preço da carne

Presidente atribuiu alta no preço ao aumento da exportação. Situação deve ser normalizada em alguns meses, segundo a ministra da Agricultura

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 28/11/2019 20:51

Em transmissão ao vivo pelo Facebook na noite desta quinta-feira (28/11/2019), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deu razão à população por reclamar do preço alto da carne no Brasil, mas disse que não pode interferir no mercado. O aumento, segundo ele, está ligado à alta na exportação.

“O pessoal está reclamando do preço da carne. Com razão. Subiu. Na nossa andança pelo mundo, o mundo começou a comprar da gente. Está faltando. Começa a vender mais, está faltando na prateleira. Infelizmente, isso acontece. Eu não posso querer tabelar o preço da carne, congelar. Não posso. Não vou fazer isso daí. A nossa política é de mercado aberto”, afirmou.

O chefe do Executivo indicou que a expectativa é de que os preços caiam nos próximos meses. “Conversei hoje com a ministra Tereza Cristina [Agricultura], ela acha que daqui a três, quatro meses, volta à normalidade. Porque o pecuarista está buscando meios de aumentar a produtividade”, explicou.

Últimas notícias