Além da liderança, PSL quer tomar diretório paulista de Eduardo

Executiva do partido decidiu confirmar a suspensão de 14 deputados mais ligados a Jair Bolsonaro. Filho do presidente está entre os punidos

Foto: Rafaela Felicciano/MetrópolesFoto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 03/12/2019 16:33

Comandado pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), o diretório do PSL em São Paulo será dissolvido por decisão da Executiva Nacional do partido. Esta foi uma das pautas da reunião da legenda que resultou na confirmação de punições a 18 parlamentares da ala mais ligada ao presidente Jair Bolsonaro, com suspensão de 14 deles.

Eduardo é alvo de uma das mais duras punições, que é a suspensão por um ano. A decisão da Executiva do partido deve fazer com que o filho do presidente da República perca o lugar de líder do PSL na Câmara, cargo que havia conquistado já como resultado da crise na legenda.

Após a confirmação da suspensão, a ala do PSL ligada ao presidente e fundador da sigla, deputado federal Luciano Bivar (PSL-PE) segue articulando, agora em busca de um nome para substituir Eduardo na liderança. Uma decisão é esperada ainda para esta terça-feira (03/12/2019).

Eduardo Bolsonaro ainda não se manifestou sobre a confirmação de sua suspensão. Outros parlamentares punidos, porém, estão reclamando bastante nas redes sociais. Veja:

Últimas notícias