Advogado vai pedir liberdade a agressor de Bolsonaro

Audiência de custódia com autor da facada está marcada para 16h, em Juiz de Fora. Defesa pedirá soltura com medida cautelar

ReproduçãoReprodução

atualizado 07/09/2018 15:03

Em Juiz de Fora (MG), o advogado responsável pela defesa de Adélio Bispo de Oliveira, autor do ataque a Jair Bolsonaro, Pedro Augusto Lima Possa vai solicitar a substituição da prisão de seu cliente por liberdade com medida cautelar. O pedido será feito durante audiência de custódia marcada para às 16h, em Juiz de Fora.

A juíza de plantão Patricia Alencar Teixeira de Carvalho vai ouvir o agressor do candidato à Presidência da República pelo PSL. O advogado confirmou que Adélio confessou o crime e alegou motivação política e religiosa por não concordar com o posicionamento de Bolsonaro. Segundo a defesa, Adélio acredita que o militar da reserva é excessivamente preconceituoso contra gays, negros e mulheres. “Na medida do possível” ele está tranquilo, informou Pedro Possa. “Não chegamos a falar de arrependimento “, acrescentou.

A audiência de custódia deverá ser fechada pela repercussão do caso e também para garantir a segurança dos envolvidos.

Depois de ser submetido a uma cirurgia de grande porte para estabilizar hemorragia e lesões acusadas nos intestinos grosso e delgado na Santa Casa de Juiz de Fora, Bolsonaro foi transferido nesta manhã para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Segundo a equipe médica não há previsão de quando o presidenciável poderá ter alta.

Últimas notícias