Policial suspeito de matar médico recém-formado é preso no Maranhão

Soldado estava foragido desde a data em que assassinou a tiros o médico durante a festa de formatura

atualizado 28/07/2021 12:16

Médico Bruno CalaçaArquivo pessoal

A Polícia Civil do Maranhão prendeu o soldado Adonias Sadda, suspeito de assassinar o médico Bruno Calaça Barbosa. O jovem foi morto a tiros na festa em que comemorava a formação no curso de medicina, no Maranhão, na segunda-feira (26/7).

Adonias estava foragido desde a data do crime e foi preso em uma casa em Imperatriz, cidade onde o assassinato aconteceu, na terça-feira (27/7). Segundo o secretário estadual de Segurança Pública local, Jefferson Portela, a região foi monitorada em um trabalho integrado dos órgãos de segurança para encontrar o suspeito.

A equipe conduziu Adonias até a Delegacia Regional para prestar depoimento, e o caso seguirá sob investigação.

“Vamos agora apontar as circunstâncias dos fatos, até o ato final com o disparo contra a vítima. Depois, a fuga do local dos fatos (…) e também, porque essa festa acontecia fora do horário permitido. Porque essa festa é considerada por nós ilegal, descumprindo as regras de horário e outras regras sanitárias”, disse o secretário.

Ainda segundo Jefferson Portela, novas testemunhas que estavam na festa em que ocorreu o assassinato serão ouvidas pela Polícia Civil.

Vídeo capturou assassinato

Câmeras de segurança do local da festa registraram o momento em que o médico foi baleado na madrugada de segunda-feira (26/7), em Imperatriz (MA).

As imagens mostram o médico Bruno Calaça sentado em um palco conversando com algumas pessoas. Em seguida, é surpreendido por Adonias Sadda. Eles se empurram, e o soldado atira. Antes de cair, Bruno diz algo ao suspeito do crime.

Veja:

 

Últimas notícias