Polícia prende Paulo Cupertino, acusado de matar ator Rafael Miguel

Segundo a denúncia, Cupertino matou ator e os pais dele em 2019 por não aceitar relacionamento da filha com o garoto

atualizado 16/05/2022 19:57

São Paulo – Policiais da 6ª Delegacia Seccional de São Paulo prenderam, nesta segunda-feira (16/5), Paulo Cupertino Matias (foto em destaque), réu acusado de ter matado o ator Rafael Miguel e os pais dele, em junho de 2019.

Matias era o número 1 na lista dos mais procurados da Polícia Civil. Ele foi preso em um hotel em Interlagos, na zona sul da capital e, inicialmente, encaminhado para o 98º Distrito Policial, no Jardim Miriam.

Depois, Cupertino foi direcionado ao prédio do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no centro de São Paulo. Ele deve passar por audiência de custódia nesta terça-feira (17/5) e depois ser encaminhado a um centro de detenção provisória, onde aguardará o julgamento.

De acordo com denúncia do Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP), Paulo Cupertino matou o ator, que na época tinha 22 anos, o pai dele João Alcisio Miguel, de 52, e a mãe, Miriam Selma Miguel, 50, porque não aceitava o namoro de sua filha, Isabela Tibcherani, na época com 18 anos, com o garoto.

 

0

Os assassinatos foram registrados em Pedreira, zona sul da capital. Segundo a denúncia, Cupertino disparou 13 vezes contra as vítimas.

Paulo Cupertino foi acusado de triplo homicídio qualificado, mas estava foragido desde então. Segundo as investigações, depois do assassinato, ele teria fugido para o Mato Grosso do Sul e, em seguida, para o Paraguai. Desde então, não se sabia de seu paradeiro.

Após a prisão do pai, Isabela se pronunciou: “Preciso de espaço”.

Rafael interpretou o personagem Paçoca na novela Chiquititas, exibida pelo SBT, e ganhou fama após comercial em que uma criança pede brócolis à mãe. Ele também atuou em novelas como Pé na Jaca, Cama de Gato e em especiais de fim de ano da TV Globo.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias