Rodrigo Fernandes, mestre de jiu-jitsu de 43 anos, foi morto com 14 tiros quando chegava em casa na noite dessa quinta-feira (7/3). Fernandes, que era conhecido como Rodrigo Cafú, trabalhava como vigilante e segurança do grupo de pagode Sorriso Maroto, além de ser professor de artes marciais na região. As informações são do R7.

O crime aconteceu no Andaraí, bairro da zona norte do Rio de Janeiro. Rodrigo foi alvejado na frente da casa onde morava, na rua Agenor Miranda.

Veja vídeo:

O segurança era conhecido na região da grande Tijuca, e seu assassinato causou grande comoção no bairro. Após a perícia, amigos e familiares homenagearam a vítima com aplausos no momento que seu corpo era levado.

O caso será investigado pela Divisão de Homicídios. Segundo a polícia, ainda não é possível estabelecer se há uma relação entre o assassinato de Rodrigo Cafú e sua profissão, e todas as linhas de investigação serão exploradas. Imagens das câmeras de segurança da rua serão analisadas.

Seu apelido foi dado em referência ao pai, o jogador de futebol profissional Cafuringa, que atuou como ponta direita do Fluminense nos anos de 1960. A vítima foi assassinada no dia do aniversário da mãe. Ele morreu na hora. Rodrigo era casado e não deixa filhos.