“Se eu separar dele, vou escandalizar o nome de Deus”, escreveu Flordelis

Deputada federal foi acusada de mandar matar o marido, o pastor Anderson do Carmo, assassinado no dia 16 de junho de 2019

atualizado 24/08/2020 13:11

redes sociais/ reprodução

A deputada federal Flordelis (PSD-RJ) teria optado por assassinar o pastor Anderson do Carmo ao invés de se separar dele, pois, nesse segundo caso, iria “escandalizar o nome de Deus”.

A informação foi divulgada nesta segunda-feira (24/8) pelo promotor Sérgio Luiz Lopes Pereira, do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), em coletiva de imprensa.

“Quando ela fala com um dos filhos sobre os planos de matar Anderson, ela disse: ‘Fazer o quê? Se eu separar dele, vou escandalizar o nome de Deus’”, disse, segundo registro do portal G1.

A mensagem teria sido enviada a André Luiz de Oliveira, preso nesta manhã.

Flordelis foi apontada pelo MPRJ como a mentora do assassinato do marido, morto a tiros em 16 de junho de 2019. Ela não foi presa nesta manhã devido à imunidade parlamentar que possui.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro (PMRJ) cumpriu nove mandados de prisão preventiva e outros 14 de busca e apreensão contra 11 pessoas acusadas de participarem do homicídio.

Anderson do Carmo teria sido envenenado ao menos seis vezes antes de ser assassinado, segundo a denúncia do MPRJ. Além disso, outras duas tentativas de homicídio foram arquitetadas.

0

 

 

Últimas notícias