PF suspende habilitação de segurança que matou cliente no Carrefour

Empresa responsável pela segurança no supermercado será fiscalizada. Outro segurança que participou do homicídio não tem carta de vigilante

atualizado 20/11/2020 16:53

cliente agredido e morto por seguranças do supermercado CarrefourReprodução/Redes Sociais

A Polícia Federal (PF) anunciou que suspenderá a Carteira Nacional de Vigilante de Magno Braz Borges, um dos dois seguranças responsáveis pela morte do cliente João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, nessa quinta-feira (19/11), no supermercado Carrefour, em Porto Alegre (RS).

O segundo agente que participou do homicídio, o policial militar temporário Giovane Gaspar da Silva, não possui Carteira Nacional de Vigilante. Essas informações foram divulgadas pela assessoria da Polícia Federal em comunicado à imprensa nesta sexta-feira (20/11).

“Um dos homens envolvidos nas agressões [Magno] é vigilante profissional, com Carteira Nacional de Vigilante (autorizado a abordagem ativa de contenção), porém, não há registro na Polícia Federal de seu vínculo profissional com a empresa contratante”, afirmou.

De acordo com a corporação, que é responsável pela fiscalização do setor, a empresa de segurança do Carrefour onde ocorreu o assassinato, a Vector, foi fiscalizada em 28 de agosto deste ano pela última vez, mas não teria apresentado “irregularidades em seu funcionamento”.

Em virtude do episódio, entretanto, será feita uma nova fiscalização extraordinária na empresa pela Polícia Federal. “Caso confirmadas as irregularidades, a Polícia Federal poderá autuar e empresa e suspender a autorização de funcionamento”, completou a corporação, em nota.

0

Últimas notícias