PF faz operação em empresa suspeita de desviar ao menos R$ 7,5 mi em fraude

A movimentação bancária das empresas entre 2011 e 2019 superou os R$ 50 milhões

atualizado 27/10/2020 7:40

PF/ Divulgação

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (27/10), a segunda fase da Operação Quadro Negro. O inquérito investiga uma organização que se especializou em fraudar licitações envolvendo o fornecimento de material de informática para aulas on-line com o fornecimento de lousas eletrônicas.

Segundo a PF, após a 1ª fase foram identificadas empresas que agem em conluio com as já investigadas, além de pessoas que, apesar de não constarem em nenhum registro relativo às empresas, são os verdadeiros donos das entidades e beneficiários dos valores obtidos com as fraudes.

Foram expedidos 15 mandados de busca e apreensão os quais estão sendo cumpridos em quatro estados da federação: três em Minas Gerais, cinco em São Paulo, três no Rio de Janeiro e quatro no Espirito Santo.

Além disto, foram expedidas ordens que proibiram os alvos de comunicarem-se entre si, além de determinar a entrega de passaporte de nove investigados.

As fraudes envolvendo as empresas investigadas movimentaram aproximadamente R$ 7,5 milhões apenas em Minas Gerais. A organização também tinha contratos em outros Estados da Federação. A movimentação bancária das empresas entre 2011 e 2019 superou os R$ 50 milhões.

Últimas notícias