Família boliviana é morta por brasileiros após pai flagrar estupro da filha

Mãe e dois filhos morreram baleados. Menina violentada sobreviveu à chacina

atualizado 16/09/2020 13:52

Uma mulher e dois filhos foram assassinados, nesse domingo (13/9), após o pai supostamente flagrar a filha ser estuprada por um brasileiro, próximo a Acrelândia (AC), na fronteira com a Bolívia.

O grupo criminoso que promoveu a chacina pertence à família do suposto estuprador, natural do Acre, que está foragido. As vítimas, inclusive a menina que teria sido abusada sexualmente, são todas bolivianas.

A garota foi baleada duas vezes pelos criminosos e deixada junto aos corpos dos familiares, mas sobreviveu e foi socorrida em estado grave para o pronto-socorro de Rio Branco (AC).

A Polícia Civil do Acre investiga o caso. Francisco Nascimento da Silva, brasileiro, foi preso acusado de ter participado da chacina. Ele teria atirado na mãe e em um dos filhos mortos.

Dinâmica

Segundo o delegado Danilo César, que está a frente do caso, os brasileiros teriam ido ao território boliviano para “resgatar” o parente acusado de estupro, que foi amarrado na árvore.

O pai da menina prendeu o suspeito e foi buscar contato com policiais para efetuar a prisão do homem. Foi nesse espaço de tempo que a família do brasileiro acusado de estupro atacou a família.

“Antes de o irmão da menina ser baleado, a mãe se colocou na frente dele [Francisco] e disse: ‘Se tiver que atirar, atira em mim'”, detalhou o delegado da Polícia Civil, em conversa com o Metrópoles.

O outro filho da mulher, irmão da menina supostamente estuprada, estava filmando a ação com um aparelho celular e foi baleado por um parente de Francisco, menor de idade, que estava armado com um rifle.

O celular foi jogado no rio pelos brasileiros, depois da ação, e os policiais não conseguiram resgatar a filmagem.

“Depois de atirar no segundo filho, o menor de idade percebe que a jovem que supostamente foi estuprada estava em uma cama. Ele pega a arma e atira duas vezes contra ela”, prossegue o investigador.

Prisão

Na delegacia, Francisco Nascimento da Silva confessou a autoria do crime. Os investigadores já sabem que o adolescente também participou da chacina, mas quer saber se os outros familiares também estão cientes do assassinato.

Segundo César, nem toda a família brasileira foi presa, apesar de todos eles terem participado do resgate, pois a chacina, segundo investigações iniciais, teria sido promovida apenas por alguns deles.

Últimas notícias