Em novo depoimento, João de Deus volta a negar abusos sexuais

Médium chegou para prestar depoimento com manchas de sangue na roupa e disse apenas que se machucou na parede

Igo Estrela/MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 09/12/2019 23:39

No Fórum de Aparecida de Goiânia, o médium João de Deus foi interrogado novamente nesta segunda-feira (09/12/2019), em relação a três processos nos quais ele é acusado de cometer crimes sexuais. Ao ser questionado, ele voltou a negar que conhece as vítimas e repetiu que nunca cometeu abusos contra pessoas que procuraram atendimento espiritual em Abadiânia, no entorno do Distrito Federal. São informações do G1.

Aos 78 anos, ele foi ouvido por carta precatória em Aparecida de Goiânia, onde está preso há quase um ano, para evitar que tivesse de viajar até a cidade em que as vítimas afirmam que os crimes ocorreram.

“Foi um pedido da defesa, pois o deslocamento é precário para um idoso de quase 80 anos, e a Justiça autorizou”, disse o advogado Anderson van Gualberto.

Violação
Os três processos nos quais ele foi ouvido tratam sobre violação sexual mediante fraude e estupro de vulnerável. João de Deus entrou na sala de audiência às 15h15 e chegou escoltado por agentes prisionais, caminhando lentamente e sem falar com a imprensa. Havia manchas de sangue na blusa e na calça dele.

A sessão durou uma hora. Na saída, questionado sobre o machucado, ele disse apenas que tinha se ferido em uma parede.

A defesa reforçou a inocência do réu e questionou as denúncias. “As vítimas não estavam em situação de vulnerabilidade, foram de livre e espontânea vontade e de maneira consciente. E ele voltou a negar que conhecia as mulheres que fizeram a denúncia e que nunca cometeu qualquer abuso”, disse o advogado.

Últimas notícias