Assassino de educadora infantil torturada e morta em casa é preso

Vítima de feminicídio, Angélica de Figueiredo Lima, de 42 anos, ainda sofreu tentativa de estupro, de acordo com exames preliminares

redes sociais/ reproduçãoredes sociais/ reprodução

atualizado 27/09/2019 13:17

O assassino da educadora infantil Angélica de Figueiredo Lima, vítima de feminicídio no bairro RioD’Ouro, no Rio de Janeiro, foi preso temporariamente nesta sexta-feira (27/09/2019). A mulher de 42 anos foi torturada e morta dentro de casa na última segunda-feira (23/09/2019).

“Diligências estão em andamento para apurar as circunstâncias do crime. A delegacia aguarda o resultado dos laudos periciais”, informa a Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSGI).

O exame cadavérico, divulgado nessa quinta-feira (26/09/2019), aponta que Angélica sofreu tentativa de estupro. A educadora infantil ainda tentou lutar contra o assassino, mas foi torturada e atacada com socos, tesouradas e golpes de ferro de passar.

Bastante ferida, Angélica conseguiu ligar para a irmã Ângela Nunes, que a socorreu. A vítima foi levada para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê (bairro de São Gonçalo), mas não resistiu e morreu. O assassino fugiu levando a carteira e um celular da vítima.

A polícia recolheu imagens de câmeras de segurança de estabelecimentos comerciais vizinhos ao local do crime. Investigadores procuram identificar como o assassino entrou na casa de Angélica. A perícia não encontrou sinais de arrombamento na residência. A delegada Bárbara Lomba está à frente do caso.

Últimas notícias