Aos gritos de “racista”, mulher que xingou taxista é presa. Veja

Na quarta-feira, ela se recusou a entrar em táxi guiado por um motorista negro. Na sequência, ela se assumiu racista

ReproduçãoReprodução

atualizado 06/12/2019 15:45

Um vídeo que circula nas redes sociais e aplicativos de mensagem revela o momento em que Natália Burza Gomes Dupin, autuada após ofender um taxista negro em Belo Horizonte, é levada por policiais para a delegacia.

O caso aconteceu nesta quinta-feira (05/12/2019), na Avenida Álvares Cabral, no bairro Santo Agostinho, em Belo Horizonte. Várias pessoas que passavam pelo local a chamaram de racista.

A senhora foi conduzida para a delegacia, e teria desacatado policiais. No boletim de ocorrência, é relatado que um policial negro “não conseguiu executar suas funções policiais militares, inerentes ao seu cargo/função, por causa da sua cor”. O registro não deixa claro o que impediu o sargento de cumprir suas atividades neste caso.

Taxista
Natália foi presa no início da tarde de quarta-feira (05/12/2019) ao se assumir racista quando negou-se a entrar em um táxi guiado por um motorista negro.

A vítima dos ataques chama-se Luís Carlos Alves Fernandes, de 51, e disse ter sido a primeira vez que sentiu o racismo na pele. Ele conta que, ao avistar a mulher chamando uma corrida na rua, estacionou ao seu lado. Como resposta, ela disse que não andaria com um negro.

De acordo com Fernandes, a mulher estava muito exaltada e afirmou ser racista. Segundo ele, ela ainda deu uma cusparada nele.

“Eu estava no ponto de táxi e vi ela atravessando com o pai dela. Ela estava agredindo ele com palavras, passou olhando dentro dos carros e eu perguntei, por educação, lógico, se ela estava precisando de táxi. Aí ela respondeu: ‘precisando eu estou, mas eu não ando com negro, eu sou racista, sou racista mesmo’, e ela ainda deu uma cusparada nos meus pés”, contou o taxista ao jornal O Tempo, de Belo Horizonte.

Últimas notícias