Agressor de Karol Eller diz que a tratou “com muito respeito”

Youtuber bolsonarista afirma que o homem que a espancou teve atitude homofóbica e a atingiu até deixá-la desacordada

reproduçãoreprodução

atualizado 18/12/2019 19:28

A youtuber Karol Eller, que é ligada à família do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), disse em mensagens enviadas à revista Época que foi “literalmente espancada” por um agressor identificado como Alexandre da Silva, 42 anos, em um quiosque no Rio de Janeiro no último domingo (15/12/2019). “Achei que ia morrer. Estou tomando muitos remédios, com muita dor ainda”, disse ela, que afirmou ter sido xingada com termos homofóbicos.

Também em entrevista ao grupo Globo, o agressor disse que apenas se defendeu da mulher.

“Foi uma agressão mútua. Ela veio pra cima de mim, drogada. Sabe que uma pessoa drogada fica muito agressiva? Fica muito mais forte? Ela me agrediu e eu a agredi. Foi isso que aconteceu e nada mais. Não a ofendi com palavras de baixo calão. A tratei com muito respeito. Sou pai de família. Não sou homofóbico, não sou esquerdista”, teria dito o homem, em mensagem de áudio enviada para a revista.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro investiga o caso como lesão corporal motivada por homofobia. “Trata-se de um caso típico de homofobia, sem ligação com a militância da vítima. De acordo com os depoimentos, os agressores chamavam a Karol o tempo todo de sapatão e demonstravam claramente preconceito. Já requisitamos os exames de corpo de delito de todos os envolvidos e vamos fazer diligências para localizarmos câmeras que possam ter flagrado a confusão e possíveis testemunhas do fato”, afirmou a delegada Adriana Belém, da 16ª Delegacia de Polícia (Barra da Tijuca).

A vítima nega a versão de legítima defesa. “Alguém que quer só se defender não teria me espancado. Poderia se defender de outras mil formas possíveis. Ele me deu murros na cara, chutou meu rosto. Me deixou desmaiada no chão e fugiu”, disse.

“Ele assediou minha namorada. Disse palavras de baixo calão pra mim. Me chamou de sapatão. Me provocou dizendo: ‘Você não é homem? Você é muito macho?’. Ele teve sim uma atitude homofóbica”, concluiu a youtuber.

Últimas notícias