PMs afirmam que atendente da 99 se recusou a identificar Rodrigo Mussi

Policiais disseram em depoimento que funcionária não deu alternativas para informar identificação do ex-BBB, mesmo informada sobre acidente

atualizado 08/04/2022 15:28

O ex-BBB Rodrigo MussiReprodução/Instagram

São Paulo – Policiais militares informaram em depoimento à polícia que uma atendente da 99 se recusou a informar a identificação do ex-BBB Rodrigo Mussi, mesmo depois de informada que falava com a Polícia Militar e que os dados eram necessários para o resgate de Mussi e a comunicação com a família dele logo após o acidente. Mussi ficou gravemente ferido em uma colisão na Marginal Pinheiros, Zona Oeste de São Paulo.

“A atendente, mesmo após a identificação do policial e do motorista de aplicativo, e ciente das circunstâncias da necessidade de tais dados, continuou a negar a fornecer os dados qualificativos de Rodrigo, sem fornecer qualquer alternativa para eventual encaminhamento de solicitação formal por outros meios”, afirmou a soldada Fernanda Antunes Soares Jorge, da Polícia Militar, em depoimento a que o Metrópoles teve acesso.

O testemunho foi concedido a policiais do 51º Distrito Policial (Rio Pequeno), na última quarta-feira (6/4). Também fez essa mesma alegação o cabo Jessé Saturno de Souza Morais, igualmente em depoimento à polícia. Os policiais já tinham relatado esse problema no registro de ocorrência de trânsito, produzido no dia do acidente, em documento da Polícia Militar.

Como foi identificado apenas como “Rodrigo” pelo motorista Kaíque Reis, que dirigia o carro solicitado pelo aplicativo da 99, o ex-BBB foi internado na UTI em estado grave sem que sua família fosse informada de seu paradeiro ou estado de saúde. Por pouco mais de 10 horas, a família não fazia ideia do que tinha acontecido com Mussi.

A polícia também interrogou um amigo de Rodrigo, Wilker Torres, que tinha ido com o ex-BBB ao jogo do São Paulo, no estádio do Morumbi, e, na saída, deixou o ex-BBB na casa de uma amiga em Osasco, na região Metropolitana de São Paulo.

Foi Torres quem combinou com Kaíque Reis como recuperar o telefone celular de Rodrigo. Isso porque o motorista alegou que achou o telefone do ex-BBB no carro e levou pra sua casa, depois que a perícia terminou a análise do veículo, por volta de 12h do dia 31 de março.

Torres, o amigo de Rodrigo, disse à polícia que ligou incessantemente para o ex-BBB entre 14h e 16h daquele dia, quando o motorista atendeu o telefone às 16h01 e informou o que tinha acontecido.

O amigo entregou à polícia áudios da conversa que manteve com o motorista. Eles combinaram que o celular de Rodrigo seria devolvido a um segurança da ex-BBB Viih Tube, que passou na casa do motorista para retirá-lo.

Em um desses áudios, o motorista também alegou, naquele dia, que a atendente do 99 não quis repassar a identificação de Rodrigo para ele ou para os policiais militares.

Procurada, a 99 não se manifestou sobre a conduta da atendente.

Mais lidas
Últimas notícias