PF investiga esquema de corrupção no Ministério do Turismo e Sistema S

Alvos de operação deflagrada nesta terça (19/2) são empresários que teriam recebido cerca de R$ 400 milhões em convênios nas duas áreas

atualizado 19/02/2019 9:56

Michael Melo/Metrópoles

Um grupo de empresas sob o controle de uma mesma família é alvo da Operação Fantoche, deflagrada pela Polícia Federal na manhã desta terça-feira (19/2). Os policiais investigam suposto esquema de corrupção envolvendo contratos firmados com o Ministério do Turismo e o “Sistema S”.

De acordo com a PF, a organização era voltada para a prática de crimes contra a administração pública, fraudes licitatórias, associação criminosa e lavagem de ativos. Estima-se que o grupo já tenha recebido mais de R$ 400 milhões.

A polícia cumpre 40 mandados de busca e apreensão e 10 de prisão temporária, no Distrito Federal, em Pernambuco, Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Alagoas e na Paraíba. A PF informou que os empresários atuaram de forma contínua, desde 2002, executando contratos firmados por meio de convênios com o Ministério do Turismo e entidades vinculadas ao “Sistema S”  – instituições corporativas voltadas a treinamento profissional, pesquisa e assistência técnica.

A ação conta com o apoio do Tribunal de Contas da União (TCU). Estão nas ruas 213 policiais federais e oito auditores da Corte de Contas. Os mandados foram expedidos pela 4ª Vara Federal da Seção Judiciária de Pernambuco, que ainda autorizou o sequestro e bloqueio de bens e valores dos investigados.

Aguarde mais informações

Últimas notícias