Paraisópolis: Corregedoria de SP isenta PMs de ação na comunidade

Nove pessoas morreram após baile funk na comunidade, em dezembro do ano passado, na capital paulista. Investigações, porém, continuam

atualizado 07/02/2020 18:33

Yago Sales/Esp. para o Metrópoles

A Corregedoria da Polícia Militar de São Paulo considerou correta a atuação de PMs na ação que resultou na morte de nove pessoas, em Paraisópolis, no fim do ano passado. As informações são do site Uol.

As investigações, entretanto, continuam. No total, 32 policiais foram afastados da corporação e ainda não retornaram ao ofício. A interpretação dada pela Corregedoria foi de que os policiais agiram em legítima defesa, endossando a versão dos agentes de que foram recebidos com pedras e garrafas no local.

Histórico
Nove pessoas morreram em uma tragédia durante o baile funk na comunidade de Paraisópolis (SP), na madrugada do dia 1º de dezembro de 2019.

Segundo a versão oficial dos policiais, os agentes perseguiam dois suspeitos quando entraram no local onde ocorria o evento, com cerca de cinco mil pessoas – o que deflagrou um corre-corre que terminou no pisoteamento fatal das vítimas. Por volta das 5h, alegam os PMs, dois suspeitos dispararam contra os oficiais e seguiram em direção a Paraisópolis, iniciando o tumulto e a confusão durante a abordagem.

Últimas notícias