Pai atribui à bebida motivo para torturar filho de 8 anos em Goiás

O garoto relatou à polícia que sofria sessões de tortura com choques elétricos, afogamentos, apertões de alicate e machucados nas unhas

atualizado 08/06/2021 21:56

goias garoto de 8 anos que era torturado pelo paiDivulgação/Polícia Civil de Goiás

GoiâniaO homem de 25 anos preso, na capital goiana, por torturar o filho de 8 anos, com choques elétricos, sessões de afogamento, apertões de alicate, entre outras crueldades, confessou o crime à polícia e afirmou que machucava a criança quando estava bêbado.

Fotos divulgadas pela Polícia Civil mostram ferimentos em todo o corpo do garoto, principalmente nas costas, onde ele era descascado com fios e sofria os choques, e nas unhas, que eram arrancadas pelo genitor.

O pai da criança foi preso preventivamente nessa segunda-feira (7/6). Segundo a polícia, as investigações foram possíveis após denúncia da avó materna, que recebeu o neto para passar uns dias na casa dela, depois que o pai sofreu um acidente.

Investigações

De acordo com a Polícia Civil, a perícia apontou que o garoto era submetido a intensas sessões de tortura, de forma cruel, ocasionando sofrimento físico e mental a criança. Segundo a corporação, as agressões começaram no ano passado.

“O Instituto Médico Legal, em análise, entendeu que as agressões estavam visíveis e pontuou que tudo foi praticado com requintes de crueldade”, afirmou o delegado ao G1.

“Inicialmente, a criança relatou que seu pai começou a agredi-la com um fio de energia. Com o tempo, ele começou a descascas esse fio, ligar na tomada e encostar no corpo da criança, causando queimaduras”, completou.

0

O garoto relatou com detalhes como as agressões aconteciam. À polícia, ele informou que as sessões de tortura eram durante a madrugada, quando o pai o acordava, afogava em um balde e depois agredia. Ainda segundo a vítima, o homem apertava a língua dele com alicate, o jogava no chão e pisava em seu pescoço e cabeça.

Ainda de acordo com Wesley da Silva, o garoto morava com o pai e a madrasta e, até o momento, não se tem informações sobre a mãe dele.

O pai do menino, que não teve a identidade revelada, foi preso e vai responder pelo crime de tortura. Já o garoto está sob os cuidados da avó materna.

Mais lidas
Últimas notícias