Operação contra fraudes na Saúde cumpre 57 mandados de prisão em São Paulo

Investigação mira uma Organização Social (OS) com contratos no governo. Há desdobramentos no Pará, onde governador é investigado

atualizado 29/09/2020 9:25

Policiais civis e federais estão nas ruas na manhã desta terça-feira (29/9) cumprindo centenas de mandados judiciais em São Paulo e no Pará. A operação mira fraudes em contratos na área da saúde entre entes públicos e uma Organização Social (OS), segundo informações preliminares do G1 nos dois estados.

No estado paulista, são cumpridos, ao todo, 260 mandados de busca e apreensão e 57 de prisão temporária. No Pará, o governador Helder Barbalho (MDB) está entre os investigados, mas não é alvo de mandados nessa fase da operação.

Há policiais na Secretaria de Saúde Estadual de SP e na Câmara Municipal de Vereadores da capital paulista. Lá, segundo o G1, o alvo é um funcionário do gabinete do vereador Eliseu Gabriel (PSB), que não é investigado. Já na Secretaria Estadual de Saúde, os alvos seriam uma médica e uma advogada que não tiveram os nomes divulgados.

Hospitais em cidades do interior paulista, como Carapicuíba e Osasco, também estão têm buscas feitas pelos policiais.

Os crimes alvo dessa operação são fraude em licitações, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

A OS, ainda não citada, é acusada de pagar propina em troca de contratos superfaturados.

Alheio às denúncias, que por enquanto não respingam diretamente no governo do estado, o governador paulista João Dória iniciou o dia comemorando boas notícias na área da saúde. Veja:

Helder Barbalho ainda não se pronunciou.

Últimas notícias