O que é a meningite e como ocorre sua transmissão

Meningite é considerada endêmica no Brasil. É possível alcançar a prevenção com aplicação de vacinas na infância

atualizado 23/02/2022 18:44

A meningite é transmitida de pessoa para pessoa, através das vias respiratórias, por gotículas e secreções do nariz e da garganta, pela ingestão de água e alimentos contaminados e contato com fezes de infectados.

Há pessoas que estão contaminadas e não adoecem, mas podem “carregar” as bactérias ou vírus e transmitir para outras pessoas.

Existem dois tipos de meningite, a bacteriana e a viral. De acordo com o Instituto Fernandes Figueira (IFF), da Fiocruz, a meningite é um processo inflamatório das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal.

No Brasil, é considerada uma doença endêmica grave, ou seja, casos são esperados ao longo de todo o ano, mas as meningites bacterianas são mais comuns no inverno e as virais no verão.

Os sintomas variam, mas alguns deles são dor de cabeça, febre, rigidez do pescoço, náusea, vômito, mal estar, confusão mental e manchas vermelhas na pele.

Para as meningites virais, o tratamento é sintomático, enquanto no caso da bacteriana, é necessário o uso de antibióticos. Quanto mais cedo o paciente possuir o diagnóstico, maior a chance de sucesso do tratamento.

Tem vacina?

Existem vacinas para prevenir alguns tipos de meningites bacterianas, disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS). Para as virais, não há prevenção.

A vacina contra a meningite tipo C deve ser administrada nos primeiros meses de vida dos bebês: duas doses aos 3 e 5 meses de idade, e um reforço aos 12 meses.

Já a vacina Pneumocócica 10 valente (Pncc 10), que também previne a meningite bacteriana, deve ser aplicada duas doses aos 2 e 4 meses, e um reforço aos 12 meses.

Existem ainda vacinas para prevenir outros tipos de meningite, dos tipos A, B, Y e W 135, mas só estão disponíveis em clínicas particulares.

Correção:

A versão original deste texto associou de forma errada o estado de saúde da cantora Paulinha Abelha a um caso de meningite. Em coletiva de imprensa realizada na última terça-feira (23/2), a equipe de médicos da Rede Primavera Saúde, onde Paulinha Abelha está sendo tratada, informou a artista não tem meningite, e que a principal hipótese diagnóstica é uma reação tóxico-metabólica.

Mais lidas
Últimas notícias