Mulher sequestrada há 20 anos reage à prisão de casal: “Finalmente”

Os dois foram condenados pelos crimes de roubo e extorsão mediante o sequestro da vítima em Salvador, em maio de 2001

atualizado 25/02/2021 15:46

Reprodução

A mulher que foi vítima de sequestro pelo casal de empresários Leandro Silva Troesch e Shirley da Silva Figueredo disse estar aliviada e relembrou o sequestro que sofreu há 20 anos. O casal, até então foragido, foi preso na última sexta-feira (19/2).

“Saber que eles foram presos é bom – agora, depois de 20 anos, não. A prisão tem sentido porque eles têm que ser punidos e cumprir a pena deles. Depois de 20 anos é um pouco demais, né?”, disse a vítima ao jornal Extra. “Saber que eles foram presos… Finalmente”, completou.

A mulher, que não quis se identificar, disse que seguiu com a vida depois do crime e preferiu não pensar no ocorrido ao longo dos 20 anos. Os dois estavam foragidos desde que foram condenados pela Justiça da Bahia a 14 e 9 anos de reclusão, respectivamente, pelos crimes de roubo e extorsão mediante sequestro, em Salvador, em maio de 2001.

“Eu recebi uma cópia do processo com as condenações e tudo. Dei uma olhada, não sei quando foi que eu recebi isso, mas pra mim já era passado. Eu não tive o menor interesse em procurar saber se eles estavam presos, se estavam soltos, nada disso. Eu procurei seguir minha vida e ponto final.”

De acordo com a vítima, o que era pra ser um sequestro relâmpago acabou virando um sequestro com resgate. “Para me proteger da situação, eu o tempo inteiro não quis ver ninguém. Depois, eu não pude reconhecer ninguém porque eu abaixei minha cabeça, fechei meus olhos e não quis ver ninguém em momento nenhum. Agir assim me deu segurança e uma perspectiva de voltar e rever meus filhos, que, na época, tinham 3 e 6 anos”.

Ela relembra que, no dia do sequestro, os criminosos ainda discutiram sobre a divisão do dinheiro: “Houve uma certa discussão na hora da divisão. Eu estava na casa ainda, no quarto. Ouvi que eles discutiram para resolver algumas questões depois que já estavam com o dinheiro na mão. Essa hora foi que eu fiquei um pouco apavorada”, conta.

Crime

O jornal Correio da Manhã teve acesso aos autos do processo e informou que Leandro e Shirley são réus com outras três pessoas: Joel Costa Duarte, Carlos Alberto Gomes de Andrade e Júlio da Silva Santos.

De acordo com a Justiça, Joel abordou a vítima no dia 10 de maio de 2001, quando ela estacionava o carro em casa, no bairro de Itapuã. Além de roubar o veículo, eles mantiveram a mulher dentro do carro enquanto realizavam saques de dinheiro em caixas eletrônicos.

Conforme a acusação, Joel começou a extorquir a vítima mediante sequestro. A mulher foi mantida em cárcere privado em um motel no mesmo bairro, mas foi levada depois para uma casa na Praia de Ipitanga, em Lauro de Freitas, Região Metropolitana de Salvador, alugada ao próprio Joel e a dois comparsas – neste caso, Leandro e Shirley. A vítima só foi liberada após pagar R$ 35 mil.

Leandro é citado no processo como o condutor do carro e a pessoa que efetuou os saques bancários. Já Shirley foi a responsável por buscar o pagamento do resgate. Leandro, Shirley e Carlos Alberto foram presos em flagrante. Posteriormente, o casal passou a responder pelos crimes em liberdade, até a Justiça ter voltado atrás em 2018. Já Joel e Júlio conseguiram fugir, na ocasião.

Mais lidas
Últimas notícias