Casal de foragidos é preso por crime cometido há 20 anos na Bahia

Os dois foram condenados pelos crimes de roubo e extorsão mediante o sequestro de uma mulher em Salvador, em maio de 2001

atualizado 24/02/2021 14:07

Reprodução

O casal de empresários Leandro Silva Troesch e Shirley da Silva Figueredo, donos de pousada de luxo na Praia dos Garcês, no município de Jaguaripe, no Recôncavo Baiano, foi preso na última sexta-feira (19/2) por um crime cometido há quase 20 anos. A informação é do jornal Extra.

Os dois estavam foragidos desde que foram condenados a 14 e nove anos de reclusão, respectivamente, pela Justiça da Bahia, pelos crimes de roubo e extorsão mediante sequestro de uma mulher em Salvador, em maio de 2001.

Policiais da Delegacia Territorial de Valença prenderam os empresários na casa deles e os levaram para realizar exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML), antes de serem transferidos para o Complexo Penitenciário da Mata Escura, para cumprimento da pena.

O casal já está à disposição da Justiça. Segundo a polícia, a confirmação da sentença (transitada em julgado) ocorreu em 2018, mas não foi possível localizar o casal em Salvador até o momento.

Os dois estão juntos há 20 anos, o mesmo tempo que completará do crime cometido por eles e mais três comparsas, que também foram denunciados pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA).

Crime

O jornal Correio da Manhã teve acesso aos autos do processo e informou que Leandro e Shirley são réus com outras três pessoas: Joel Costa Duarte, Carlos Alberto Gomes de Andrade e Júlio da Silva Santos.

De acordo com a Justiça, Joel abordou a vítima no dia 10 de maio de 2001, quando ela estacionava o carro em casa, no bairro de Itapuã. Além de roubar o veículo, eles mantiveram a mulher dentro no carro enquanto eram efetuados saques de dinheiro em caixas eletrônicos.

Conforme a acusação, Joel começou a extorquir a vítima mediante sequestro. A mulher foi mantida em cárcere privado em um motel no mesmo bairro, mas foi levada depois para casa na Praia de Ipitanga, em Lauro de Freitas, Região Metropolitana de Salvador, que foi alugada ao próprio Joel e a dois comparsas, neste caso, Leandro e Shirley. Ela só foi liberada após pagar R$ 35 mil.

Leandro é citado no processo como o condutor do carro e a pessoa que efetuou os saques bancários. Já Shirley foi a responsável por buscar o pagamento do resgate. Leandro, Shirley e Carlos Alberto foram presos em flagrante. Posteriormente, o casal passou a responder pelos crimes em liberdade, até a Justiça ter voltado atrás em 2018. Já Joel e Júlio conseguiram fugir na ocasião.

Mais lidas
Últimas notícias