O recém-empossado comandante da Marinha, o almirante Ilques Barbosa Júnior, pregou cautela na alteração do regime de aposentadoria dos militares. Segundo ele, o estabelecimento de idades mínimas para a carreira é um tema delicado. “É um assunto que deve ser analisado com muito cuidado”, disse logo após a cerimônia de posse no novo cargo.

Com o avanço das propostas para o novo modelo previdenciário, que estão no foco do ministro da Economia, Paulo Guedes, o almirante saiu em defesa de um regime diferenciado de aposentadoria para a sua categoria.

“Nós não devemos falar em previdência dos militares, é impróprio. O que se tem é a proteção social dos que estão na ativa e na reserva em razão dos trabalhos executados”, afirmou.

O discurso ecoa o que foi pregado pelo ministro-chefe da Secretaria de Governo, general Carlos Alberto dos Santos Cruz, que também prega que os militares não sejam incluídos nas novas regras de aposentadoria.

“Militar é uma categoria muito marcante, de farda. Militares, policiais, agentes penitenciários, Judiciário, Legislativo, Ministério Público possuem características especiais, que têm de ser consideradas e discutidas”, disse o ministro a respeito da reforma da Previdência.

Ilques Barbosa Júnior ponderou, no entanto, que a instituição que passa a comandar não tem nenhuma interferência no assunto, que seria de natureza política. “O que o presidente mandar, será feito”, completou.

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), compareceu na manhã desta quarta-feira (9/1) à cerimônia de posse do novo comandante da Marinha, o almirante de esquadra Ilques Barbosa Júnior, que assume o lugar do almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira. A troca do comando da Marinha foi realizada no salão nobre do Clube Naval, com todos os 900 assentos lotados.

Bolsonaro saiu do evento sem falar com a imprensa. O presidente, porém, fez uma entrada de impacto no evento: chegou de lancha, pelo Lago Paranoá.

Esta é a terceira transmissão de cargos de militares que Bolsonaro marca presença. Além do almirante, o presidente foi à posse ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva e do comandante da Força Aérea, tenente-brigadeiro do ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, na Base Aérea de Brasília em 4 de janeiro.

Estavam presentes na cerimônia autoridades do Exército e da Aeronáutica. O almirante Ilques Barbosa Junior tomou posse, às 11h, após a salva de 19 tiros, que puderam ser escutados a mais de dois quilômetros do Clube Naval.