MPRJ denuncia e pede a prisão de padrasto filmado agredindo enteado

Victor Arthur Possobom é acusado de agredir e sufocar o enteado de apenas 4 anos em um prédio de Niterói. Ele também tem outras acusações

atualizado 16/09/2022 18:13

Victor Arthur Possobom Reprodução / Redes sociais

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) decidiu, nesta sexta-feira (16/9), denunciar e pedir à Justiça a prisão de Victor Arthur Possobom, acusado de agredir e sufocar o enteado de apenas 4 anos, em um prédio de Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro.

No documento, ao qual o Metrópoles teve acesso, o órgão pede que seja ordenada a citação do acusado para responder aos termos das ações penais as quais se enquadra,” bem como seja julgada, afinal, procedente a pretensão punitiva, com a sua consequente condenação”. Também é requerido uma fixação de valor mínimo para reparação de danos morais.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Na denúncia, a promotoria também enfatiza todos os crimes dos quais Possobom foi acusado anteriormente e expõe relatores de testemunhas que, em algumas ocasiões, presenciaram as agressões ao garoto de 4 anos.

“Insta salientar ainda que, vários outros registros foram realizados desde 2013 contra o ora denunciado, em diversas delegacias distritais e também na Delegacia de Atendimento à Mulher de Niterói: lesão corporal; lesão corporal culposa; injúria; e ameaça. Além do último registro feito contra ele, em julho de 2022, pelo crime de violência psicológica contra a mulher”, pontua o MPRJ.

Entenda

O caso, ocorrido em fevereiro, está sob investigação da 77ª DP (Icaraí) e da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Niterói. As imagens vieram à tona nessa quinta-feira (15/9). Com a denúncia do MPRJ, um juiz da 1ª Vara Criminal de Niterói expedirá, ou não, um mandado de prisão do acusado.

Nas imagens, captadas por câmeras de segurança do condomínio, é possível ver o homem ao lado do garoto no sofá do prédio. No outro registro, já dentro do elevador, o agressor checa a máscara do menino e, em seguida, o sufoca.

Veja o vídeo, as imagens são fortes:

A chef de cozinha Jéssica Jordão Carvalho, mãe do garoto, também afirma ter sido agredida pelo homem. Jéssica e Victor namoraram por dois anos. Ela já era mãe do menino quando começou a se relacionar com Possobom. Eles tiveram, juntos, uma filha, que hoje tem um ano. Segundo o relato da defesa de Jéssica, o homem a impede de ver a criança há 2 meses.

Em nota, a Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro informou que faz diligências sobre o caso: “A 77ª DP (Icaraí) instaurou inquérito e investiga o caso. Os agentes analisam as imagens registradas da agressão, coletam depoimentos e realizam demais diligências para esclarecimento dos fatos”, disse a corporação.

A Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Niterói também está investigando o crime de violência psicológica contra a mãe da criança. “O inquérito foi concluído e encaminhado à Justiça, com pedido de prisão do autor, e está sob análise do Ministério Público”, pontuou.

A reportagem tenta contato com a defesa do acusado, mas não obteve retorno. O espaço segue aberto.

Mais lidas
Últimas notícias