MP vai investigar se, além da esposa, secretário de Saúde furou fila da vacina

Gestor da pasta em Pires do Rio confessou que a "mulher da vida dele" foi imunizada sem fazer parte dos grupos prioritários

atualizado 25/01/2021 15:39

Ex-secretário de saúde de Goiás que mandou vacinar esposa e foi demitidoReprodução/Redes Sociais

O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) investiga se o secretário de Saúde de Pires do Rio, Assis Silva Filho, também “furou a fila” da vacinação contra a Covid-19. A informação é do portal G1.

O gestor da pasta pediu exoneração do cargo após ceder à “mulher da vida dele” uma dose da CoronaVac, mesmo sem ela estar entre as pessoas que devem ser imunizadas com prioridade.

“Vamos investigar se o próprio secretário furou a fila e tomou a vacina. Qualquer outra pessoa que tenha burlado essa fila poderá ser responsabilizada pelo MP”, disse o promotor de Justiça Marcelo Borges Amaral.

Em transmissão ao vivo, na sexta-feira (22/1), o secretário admitiu que deu uma dose da vacina contra a Covid-19 que o município de Pires do Rio recebeu à esposa. Durante o vídeo, ele pediu desculpas pela atitude que tomou e justificou que o fez para proteger a “mulher da vida dele”.

“Foi com intuito de resguardar e preservar a saúde e a vida da mulher da minha vida. Sou capaz de dar minha própria vida por ela”, afirmou.

Segundo o próprio secretário, a esposa dele tem mais de 70 anos e o acompanha no trabalho que ele faz, visitando muitas vezes as unidades de saúde do município. No entanto, não está prevista a vacinação de pessoas idosas que não estejam institucionalizadas nesta primeira fase do programa de imunização da Covid-19.

Por meio de nota, a Prefeitura de Pires do Rio informou que “as devidas providências já estão sendo tomadas e que a apuração dos fatos já está sendo realizada”.

Últimas notícias