MP quer que TCU investigue compra de alimentos pelo governo federal

Para subprocurador-geral, as despesas realizadas, ainda que legais, representam uma "afronta" ao "princípio da moralidade pública"

atualizado 28/01/2021 7:56

Sede do TCUFelipe Menezes/Metrópoles

O subprocurador-geral do Ministério Público (MP) no Tribunal de Contas da União (TCU), Lucas Rocha Furtado, requisitou à presidência da corte a apuração de supostas irregularidades nos gastos de alimentação do governo federal em 2020.

A solicitação é para verificar a “legalidade, legitimidade, moralidade, economicidade e razoabilidade desses gastos, diante dos indícios de desvirtuamento da utilização dos recursos públicos, bem como diante dos indícios de superfaturamento de alguns itens”. A informação é da CNN Brasil.

Como mostrou reportagem do Metrópoles no último domingo (24/1), os gastos da União relacionados à alimentação totalizaram R$ 1,8 bilhão em 2020.

Na representação, Furtado cita que o valor das compras em 2020 foi 20% superior ao verificado em 2019. O subprocurador-geral destaca gastos de R$ 15 milhões com leite condensado e de R$ 2,2 milhões com chicletes.

Para ele, ainda que as compras tenham sido legais, despesas realizadas representam uma “afronta” ao “princípio da moralidade administrativa”.

O subprocurador-geral pede que, em caso de confirmação de irregularidades, o TCU apure os responsáveis pelas compras, aplique sanções e encaminhe as conclusões da investigação ao responsável pela relatoria das contas do governo.

0

 

Últimas notícias