metropoles.com

Moro rebate nota da Polícia Federal: “Não prende grandes tubarões”

Em entrevista, ex-juiz rebateu comunicado da corporação que afirma que ele mente ao acusar não haver mais investigações de corrupção

atualizado

Compartilhar notícia

Fábio Vieira/Metrópoles
sp sergio moro
1 de 1 sp sergio moro - Foto: Fábio Vieira/Metrópoles

O pré-candidato à Presidência da República Sergio Moro (Podemos) rebateu, nesta quarta-feira (16/2), as críticas feitas pela Polícia Federal na terça-feira (15/2). Por meio de nota enviada à imprensa, o órgão afirmou que o ex-juiz “mente” ao dizer que “não tem ninguém no Brasil sendo investigado e preso por grande corrupção”.

Como resposta, dada em entrevista à Rádio Rio FM, de Aracaju, Moro declarou que a corporação não prende “grandes tubarões”.

“Não é só uma questão de quantidade, mas de quem está sendo preso. Prendeu o bagrinho da corrupção? Isso sempre teve. Prendeu lá um funcionário público que cobrou propina para conceder uma licença, um guarda que deixa de aplicar uma multa. Isso tem. Agora grande corrupção, os grandes tubarões… Não está tendo prisão nenhuma. A gente não ouve falar nada sobre isso”, pontuou.

O ex-juiz ainda minimizou o teor da nota, ao dizer que não é um posicionamento da PF como um todo, mas apenas da atual direção. “Essa nota não é da PF. É da atual direção da PF. A direção atual não representa o que pensam as pessoas que compõem a instituição”, frisou.

Nesta quarta, Moro direcionou uma publicação nas redes sociais ao corpo técnico da PF: “Vocês vão voltar a ser valorizados”.

Veja:

Entenda o caso:

Na segunda-feira (14/2), em entrevista à Rádio Jovem Pan, Moro criticou as chamadas “interferências” de Jair Bolsonaro (PL) na Polícia Federal.

“Os delegados e os agentes não estão tendo a possibilidade de trabalhar. A gente tem ouvido de vários superintendentes sendo afastados. Teve aquele caso do Amazonas do Alexandre Saraiva, que foi afastado porque teve um processo que acabou batendo de frente com o ministro anterior do Meio Ambiente. Não lembro o nome dele”, disse, na ocasião.

Em resposta, a corporação afirmou, por nota, que as críticas de Moro são “ataques descabidos”. No texto, a Polícia Federal ressaltou que “Moro mente quando diz que ‘hoje não tem ninguém no Brasil sendo investigado e preso por grande corrupção'”.

“A Polícia Federal efetuou mais de mil prisões, apenas por crimes de corrupção, nos últimos três anos”, reagiu a instituição.

A corporação também defendeu que o presidenciável fez ilações ao associar um eventual enfraquecimento no combate à corrupção com o afastamento de superintendentes – que, de acordo com Moro, “apenas estavam fazendo o trabalho deles”.

“O ex-ministro não aponta qual fato ou crime tenha conhecimento e que a PF estaria se omitindo a investigar. Tampouco qual inquérito policial em andamento tenha sido alvo de ingerência política ou da administração. Vale ressaltar que a Polícia Federal vai muito além da repressão aos crimes de corrupção. Em 2021, bateu recorde de operações. No total, foram quase 10 mil ações, aumento de 34% em relação ao ano anterior”, prosseguiu a PF.

De amigos a rivais: a relação de Sergio Moro com Jair Bolsonaro

0

 

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações