Moradores do sertão usam criatividade e apoio técnico para criar renda

No interior do Piauí, pequenos produtores se desenvolvem a partir de programas de incentivo

atualizado 25/10/2021 17:57

Produção de melIsadora Teixeira/Metrópoles

Enviada especial ao Piauí – Debaixo do sol escaldante do Nordeste, brasileiros usam a criatividade e o ensino técnico para conseguir sua própria renda. Em Parnaíba, segunda maior cidade do Piauí, produtores locais criam abelhas, peixes e produzem bolsas com couro de cordeiro.

A artesã Raimunda Santos Peixoto, 49 anos, começou a fazer bolsas há 20 anos. A matéria-prima de seu trabalho é o couro de carneiro produzido em uma fábrica da própria cidade.

Ao Metrópoles, Raimunda contou que gosta mais dos modelos coloridos. Ela abusa do rosa, amarelo, vermelho e laranja em suas criações.

“Comecei a fazer bolsa pequena de crochê. O Sebrae sempre dava cursos e eu fui me aperfeiçoando. Hoje, vivo do artesanato. Já vendi até em Minas Gerais”, afirmou, orgulhosa.

Raimunda integra a Rota do Cordeiro, uma das iniciativas das Rotas de Integração Nacional, do Ministério do Desenvolvimento Regional. Por meio do programa, produtores locais têm apoio para se especializar, vender seus produtos e expandir os negócios.

Assim como Raimunda, Sebastião Costa Melo mora em Parnaíba. Ele é produtor de mel na área rural da cidade piauiense. Sebastião é ex-presidente da Associação dos Apicultores de Campo Maior (Apicam) e diz conhecer a realidade de todas as 104 famílias apicultoras da região.

A produção de mel em Parnaíba começou a crescer há 16 anos, segundo Sebastião. Atualmente, as 104 famílias especialistas na extração do mel produzem 60 toneladas por ano. “Tem filho de produtor que fez faculdade por causa do mel”, afirmou.

Os apicultores no Piauí são atendidos pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf), que fornece equipamentos necessários para o início da produção e o apoio técnico para crescimento do apicultor.

0

Presidente da Codevasf, Marcelo Moreira disse que o dinheiro para esse e outros projetos semelhantes vem de emendas parlamentares: “É um trabalho de formiguinha. Nós mostramos o resultado para os deputados para que eles enviem as emendas. No caso do mel, o Piauí é o maior produtor do Brasil. Começou a partir do incentivo da Codevasf”. No interior do Nordeste, a Codevasf também ajuda piscicultores a desenvolverem técnicas para criação de peixes em gaiolas.

A Rota do Cordeiro e a Rota do Mel integram a Jornada das Águas, iniciativa do Ministério do Desenvolvimento Regional com entrega de obras e anúncio de projetos relacionados à melhoria do abastecimento hídrico e ao desenvolvimento econômico e social.

Nesta segunda-feira (25/10), Raimunda e Sebastião expuseram seus produtos em Parnaíba. O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, e o presidente da Codevasf conheceram os produtos locais, durante evento da Jornada das Águas.

*Por questões de logística, a repórter viajou em aeronave da FAB. O Metrópoles arcou com todas as despesas de alimentação e hospedagem.

Mais lidas
Últimas notícias