Ministérios da Defesa e Saúde fazem ação em comunidades indígenas do Maranhão

É a 3ª fase da ação, que até agora levou 1,5 tonelada de alimentos e conta com 24 profissionais da área da saúde, incluindo médicos

atualizado 04/10/2020 16:53

O Ministério da Defesa organiza assistência em aldeias indígenas da etnia Guajajara no MaranhãoIgo Estrela/Metrópoles

Cerca de 12 mil indígenas da etnia Guajajara, no estado do Maranhão, recebem funcionários do Ministério da Defesa neste fim de semana, na operação Covid-19. Esta é a terceira fase da ação, que até agora levou 1,5 tonelada de carga na aeronave C 105 Amazonas. Ao todo, 24 profissionais da área de saúde acompanham o projeto, que entregou insumos para mais de 26 mil pessoas na região.

O local das aldeias é de difícil acesso e, por isso, o trajeto precisa ser percorrido via aérea, por helicóptero. Rose Marinho Gomes Guajajara, que levou seus filhos à unidade de atendimento, disse que foi ao local porque as crianças estavam tossindo. “Resolvi trazê-los para consultar”, contou.

Veja fotos da ação na comunidade indígena:

0

A Unidade Básica de Saúde Indígena (UBSI) montada na aldeia Urucu Juruá conta com serviços de pediatria, odontologia, ginecologia e clínico geral.

A 3º fase da operação militar no estado tem como objetivo evitar a disseminação do novo coronavírus entre os indígenas e levar atendimento de saúde básica à etnia Guajajara, em duas das aldeias: Urucu Juruá e Polo Grajaú.

A iniciativa conta com a parceria do Ministério da Saúde que, por meio de 34 equipes – compostas por médicos, enfermeiros, farmacêuticos,  nutricionistas – foram ao local para participar da Operação Covid-19.

0

Últimas notícias