Ministério da Saúde diminui em 58% fornecimento de BCG para estados

Pasta recomendou que todos os estados racionem o imunizante contra tuberculose pelos próximos sete meses

atualizado 20/05/2022 18:14

Bebê negro tomando vacinaiStock

O Ministério da Saúde diminuiu em 58,3% o fornecimento da BCG, uma das primeiras vacinas que o recém-nascido recebe, para todos os estados do Brasil. Segundo a pasta, a redução é devido à “tramitação do processo de aquisição” e o racionamento deve se manter pelos próximos sete meses.

De janeiro a março de 2022 foram distribuídas, em média, 1,2 milhão de doses por mês e, a partir de abril, o quantitativo médio para distribuição passou a ser 500 mil por mês.

A BCG, imunizante contra a tuberculose, precisa ser aplicada, de preferência, nas primeiras 12 horas após o nascimento. Ou seja, o melhor é que seja ainda na maternidade. Na rotina dos serviços, a vacina é disponibilizada para crianças até 4 anos, 11 meses e 29 dias ainda não vacinadas.

0

“Essa readequação se refere à tramitação do processo de aquisição, que envolve a compra propriamente, o desembaraço alfandegário e autorização pela Anvisa para a entrada do produto no país, o qual, posteriormente, é enviado para análise do controle de qualidade do INCQS antes de ser distribuído para as salas de vacina”, diz nota do ministério enviada à reportagem.

O órgão ainda destacou que conta com a cooperação da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) para realizar os processos de compra junto aos laboratórios internacionais.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias