Ministério da Saúde admite circulação da variante Darwin da H3N2

Secretário executivo da pasta, Rodrigo Cruz fez um apelo para que a população siga as medidas de proteção e se vacine contra a gripe

atualizado 05/01/2022 17:32

Rodrigo Otávio Moreira da Cruz, secretário executivo do Ministério da Saúde, concede coletiva, neste sexta-feira (10:12), sobre o ataque hacker ao sistema do Conecte SUS 6Igo Estrela/Metrópoles

O secretário executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, admitiu pela primeira vez que a variante H3N2 do vírus Influenza A, chamada de Darwin, está circulando no Brasil.

Nesta quarta-feira (5/1), o número 2 da pasta, em uma série de postagens no Twitter, fez um apelo para que a população siga as medidas sanitárias e comentou a situação epidemiológica.

“Uma nova cepa do vírus Influenza A, H3N2, Darwin, vem sendo cadastrada em nossos sistemas, em vários estados do país. Por isso recomendamos que todos os cuidados relacionados à saúde sejam priorizados, o uso de máscaras, a higienização das mãos, ainda é sumariamente importante”, escreveu Cruz no Twitter.

O número 2 da Saúde não informou em quais unidades da Federação já foram registrados casos da Darwin.

O Brasil vive um surto de casos de gripe. Levantamento do Metrópoles publicado em 29 de dezembro constatou que já foram notificados ao menos 2,9 mil casos de H3N2, com ao menos 21 mortes por complicações da doença. Desde então, a pasta enfrenta dificuldades para atualizar os dados.

As unidades da Federação que mais notificaram casos da gripe foram Amazonas, Bahia, Rondônia, Ceará e Pernambuco. Ao menos seis estados já registraram mortes após contaminação pelo H3N2: Rio de Janeiro, Bahia, Pernambuco, Paraná, Espírito Santo e Rio Grande do Sul.

Na postagem, o secretário executivo reforçou a importância da vacinação. “Recomenda-se que todos se vacinem contra a gripe”, pediu Rodrigo Cruz.

Cruz ressaltou ainda que a nova cepa da influenza pode ser mais agressiva em crianças. “Em crianças, o vírus Influenza é mais ágil, podendo evoluir a sintomas mais graves. Se estiver em dúvida se é gripe H3N2 ou Covid-19, faça um teste”, publicou.

Vacina em produção

O Instituto Butantan, ligado ao governo de São Paulo, anunciou que a vacina contra a influenza que será distribuída no Sistema Único de Saúde (SUS) em 2022 já está em produção.

A fórmula vai proteger contra os vírus H1N1, H3N2 – que desencadeou um surto no país – e a cepa B.

O Butantan faz a vacina trivalente contra influenza em uma fábrica própria, que produz separadamente os Ingredientes Farmacêuticos Ativos (IFA) das três cepas do imunizante para depois misturá-los em um outra fábrica de formulação e envase.

Desde o fim do ano passado, o Brasil vive um surto de influenza H3N2. Em algumas cidades, como Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, já se fala em epidemia.

Veja as mensagens de Rodrigo Cruz:

Mais lidas
Últimas notícias