Ministério da Economia funde agências do INSS em seis estados

Agora, os pontos de atendimento passarão a funcionar de maneira conjunta com as Agências Regionais do Trabalho

atualizado 21/11/2019 13:18

Rafaela Felicciano/Metrópoles

O Ministério da Economia fundiu agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) com as Agências Regionais do Trabalho (ART) — ligadas à Secretaria do Trabalho. As mudanças ocorrem em caráter experimental em seis estados.

A união ocorreu com a autorização do secretário-especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho. Agora, 13 agências em Goiás, Minas Gerias, Bahia, Ceará, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul passarão a operar de forma conjunta.

Para execução do projeto piloto, o INSS e a Secretaria do Trabalho formalizarão um termo de ajuste e um plano de trabalho específico para disciplinar o funcionamento conjunto das unidades em até 45 dias.

O governo determinará o cronograma, o quantitativo de servidores, os procedimentos e demais trâmites de movimentação de materiais e bens. A portaria foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (21/11/2019).

Marinho determinou que as despesas comuns decorrentes da utilização de edifícios próprios e alugados sob gestão do INSS e da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho serão rateadas proporcionalmente.

Reprodução/DOU

O INSS disponibiliza em suas agências serviços como perícia médica, consultas e requerimentos a benefícios como aposentadoria e auxílio doença, extratos de declaração de imposto de renda, entre outros.

As Agências Regionais do Trabalho são unidades de atendimento nos estados responsáveis pela execução, supervisão e monitoramento de ações relacionadas a políticas públicas de Trabalho e Emprego.

Além do fomento ao trabalho, emprego e renda, execução do Sistema Público de Emprego, fiscalização do trabalho, mediação e arbitragem em negociação coletiva, um dos principais objetivos é a orientação e apoio ao cidadão.

Últimas notícias