Milton Ribeiro exonera assessores da ala ideológica ligados a Weintraub

A dispensa faz parte da estratégia para mudar a "cara" do MEC, que ficou com a pecha de uma das trincheiras da ala ideológica do governo

atualizado 28/07/2020 13:43

Ex ministro da Educação Abraham WeintraubRafaela Felicciano/Metrópoles

O ministro da Educação, pastor Milton Ribeiro, começou as primeiras mudanças na pasta para por fim ao legado do antecessor o ex-ministro Abraham Weintraub. Ribeiro exonerou quatro assessores especiais remanescentes da gestão anterior.

A dispensa faz parte da estratégia para mudar a “cara” do MEC, que ficou com a pecha de uma das trincheiras da ala ideológica do governo, ligada a Olavo de Carvalho. As exonerações foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU).

Entre os demitidos estão Auro Hadano Tanaka, Eduardo André de Brito Celino, Sérgio Henrique Cabral Sant’ana e Victor Sarfatis Metta. Do grupo, o ministro decidiu manter somente o coronel Paulo Roberto na vaga de assessor especial.

Os novos ocupantes do gabinete ainda não foram nomeados. Ao assumir a pasta, Milton Ribeiro afirmou que promoveria uma gestão mais aberta ao diálogo e que o MEC adotaria um tom mais conciliador.

As exonerações foram assinadas pelo número 2 da pasta, Victor Godoy Veiga, que assumiu a secretaria executiva do órgão com a saída de Antônio Vogel. O ministro está afastado porque contraiu a Covid-19 e segue em tratamento em São Paulo.

0

 

Últimas notícias