Meia-volta volver: servidores demitidos da Funarte retomam cargos

Demissões ocorreram após confusão envolvendo a atriz Fernanda Montenegro, que foi chamada de "sórdida" e "mentirosa"

Clara Angeleas/Ministério da CidadaniaClara Angeleas/Ministério da Cidadania

atualizado 09/10/2019 16:13

Cinco dias após demitir 19 servidores do Centro das Artes Cênicas (Ceacen) da Fundação Nacional de Artes (Funarte), o ministro da Cidadania, Osmar Terra, revogou as exonerações. O caso ainda é repercussão da confusão envolvendo a atriz Fernanda Montenegro.

O grupo foi dispensado na última sexta-feira (04/10/2019), mas, nesta quarta-feira (09/10/2019), o Diário Oficial da União (DOU) publicou novas portarias do ministro que tornam as demissões sem efeito.

Os servidores são subordinados ao diretor do Ceacen, Roberto Alvim, que recentemente atacou com ofensas a atriz Fernanda Montenegro. Alvim chamou Fernanda de “mentirosa” e “sórdida”.

Com a anulação dos atos de exoneração e dispensa, os 19 servidores reassumem os cargos, todos de confiança. Eles são titulares de funções de chefia, coordenação e subgerência no Ceacen.

Desde que assumiu o centro, Alvim tem chamado atenção pelas declarações polêmicas. Na semana passada, disse que Fernanda Montenegro é “sórdida”. Isso causou indignação na classe artística.

A situação de Alvim e equipe ficou ainda mais complicada após o diretor defender que o Teatro Glauce Rocha se torne um local “dedicado ao público cristão”. O diretor confirma os planos e diz que o “público cristão nunca teve um espaço para frequentar as suas crenças”.

A Associação dos Produtores de Teatro (APTR) já havia criticado a postura do gestor no Ceacen. “Persistiremos na busca pelo diálogo, pela liberdade de expressão, pelo afeto ao fazer artístico e cultural de nosso país. Tudo isso de forma civilizada e com total respeito à diversidade”, disse, em nota.

Últimas notícias