MDB anuncia rompimento e saída coletiva da prefeitura de Goiânia

Partido do prefeito eleito Maguito Vilela, que morreu em janeiro por Covid-19, rompe com o Republicanos e 14 integrantes pedem exoneração

atualizado 05/04/2021 12:53

Daniel Vilela, presidente do MDB em Goiás: partido anuncia saída da gestão municipal em GoiâniaVinícius Schmidt/Metrópoles

Goiânia – Exatos 82 dias após a morte do prefeito eleito de Goiânia, Maguito Vilela (MDB), por complicações da Covid-19, a administração da capital enfrenta a ruptura entre o partido dele e o do vice-prefeito da chapa e hoje prefeito, Rogério Cruz (Republicanos), que é pastor licenciado da Igreja Universal.

“A verdade é que hoje Goiânia está em um voo às cegas”, declarou nesta segunda-feira (5/4) o presidente do MDB em Goiás e filho de Maguito, o ex-deputado federal Daniel Vilela, durante anúncio de rompimento e saída coletiva de 14 secretários dos quadros da prefeitura.

O motivo da decisão foi o desgaste gerado por ações tomadas por Rogério, nas últimas semanas, e o avanço da direção nacional do Republicanos nas decisões da administração de Goiânia. “A mim foi recomendado que as discussões fossem feitas com a liderança nacional do partido e não com ele (o prefeito)”, conta Daniel.

Desde a morte de Maguito, no dia 13 de janeiro, após 83 dias internado, o MDB seguia lado a lado de Rogério Cruz na gestão da cidade e, em menos de três meses, começou a ver alguns dos nomes sugeridos para o primeiro escalão sendo exonerados sem aviso prévio.

“Alguns tomaram conhecimento da exoneração pelo Diário Oficial, sem terem a dignidade de serem convidados para uma conversa antes. Isso gerou desmotivação e insegurança na equipe”, expõe Vilela. A decisão de saída da prefeitura foi tomada nesse domingo (4/5), durante reunião do partido.

Ao todo, 21 integrantes do MDB em Goiás, sendo sete que eram secretários e que foram exonerados, anteriormente, e 14 que seguiam nos cargos, mas que solicitam, agora, a exoneração, assinam documento que será entregue ao prefeito. Os 14 que deixam a prefeitura de Goiânia nesta segunda-feira são:

Agenor Mariano da Silva
Secretaria de Planejamento e Habitação

Alessandro Melo da Silva
Secretaria de Finanças

Antônio Flávio de Oliveira
Procuradoria Geral do Município

Carlos Júnior
Secretaria de Desenvolvimento e Economia Criativa

Célio Campos de Freitas Júnior
Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia

Colemar José de Moura
Controladoria Geral do Município

Euler Morais
Secretaria de Relações Institucionais

Filemon Pereira
Secretaria de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas

Gean Carlo Carvalho
Secretaria Executiva de Assuntos Estratégicos

José Frederico Lyra Netto
Escritório de Prioridades Estratégicas

Kleber Adorno
Secretaria de Cultura

Leandro Vilela
Secretaria Extraordinária

Murilo Guimarães Ulhôa
Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos

Pedro Pinheiro Chaves
Secretaria de Mobilidade

0
“Discordância frontal com os rumos da gestão”

A carta assinada pelos integrantes do partido explica os motivos da saída coletiva e aponta “discordância frontal” com os rumos que a gestão da prefeitura de Goiânia vem tomando. “Não seremos cúmplices de quem porventura tenha decidido por outro caminho que não o de trabalhar para Goiânia seguir em frente”, afirma o texto.

O MDB fala em intervenção da direção nacional do Republicanos na prefeitura e que isso gerou “um desmonte” nos quadros da administração. “De forma pouco transparente e sem o consentimento da população, a Prefeitura de Goiânia está sendo loteada por grupos políticos e consultores de fora do nosso Estado”, diz o partido.

Nesta segunda-feira, Daniel Vilela citou, no discurso, durante o anúncio de rompimento com o Republicanos, a nomeação de pessoas de outros estados para exercerem funções de secretário na prefeitura e que não seriam próximas ou conhecidas de Rogério Cruz.

“O prefeito nomeia pessoas que ele sequer conhece. Desafio o prefeito a mostrar uma foto dele com um desses secretários que estão aí na prefeitura e que vieram de fora. Ele não os conhece”, disse.  E continuou: “Quem governa essa cidade hoje? É essa a grande pergunta que o goianiense merece resposta”.

Logo após o anúncio do MDB, o prefeito Rogério Cruz anunciou coletiva de imprensa para falar sobre a recomposição administrativa da prefeitura de Goiânia.

0

Últimas notícias