*
 

Após participar de reunião com o presidente Michel Temer, no Palácio do Jaburu, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (MDB-RR), e o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB-MS), afirmaram que devem ser feitas 14 substituições nos ministérios por conta da desincompatibilização eleitoral.

Segundo eles, o nome do secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Eduardo Guardia, não foi definido para assumir a pasta, pois Henrique Meirelles “ainda está no cargo”.  “A conversa entre o ministro e Temer continua, mas não há confirmação”, afirmou Jucá.

O senador, presidente do MDB, reiterou que nesta terça-feira (3/4) Meirelles vai se filiar ao partido e “posteriormente deverá combinar com o presidente a saída do cargo e a substituição”, completou.

Jucá negou que haja impasse em relação à substituição. “Ele não saiu ainda e está conversando para esgotar, dentro da equipe, os caminhos para poder propor algo ao presidente”, afirmou.

Marun foi na mesma linha. “Guardia tem grandes chances de vir a ser ministro da Fazenda, mas Temer ainda não decidiu”, disse. Ele destacou que o secretário-executivo “preenche os requisitos para ocupar a função”.

A posse da equipe econômica deve acontecer na quinta-feira (5) ou sexta (6). E segundo Marun,  o chefe da pasta tem de ter trânsito político, mas isso não significa a necessidade de colocar políticos à frente de ministérios.