Com impasses envolvendo bens, Romário repassa R$ 22 milhões a advogado

O senador vem sendo cobrado na Justiça por uma série de dívidas milionárias. Antes, ele havia transferido parte de seu patrimônio à irmã

JOSÉ CRUZ/ABR

atualizado 02/08/2020 10:31

O senador Romário (Pode-RJ) é acusado em processos judiciais de transferir bens a terceiros para não pagar dívidas com credores. Agora, ele passou a colocar o próprio advogado como dono de parte do seu patrimônio. A informação é do jornal O Globo.

Luiz Sérgio de Vasconcelos Júnior, que entre 2017 e 2019 foi funcionário comissionado no Senado, foi autorizado, por meio de documentos firmados em cartório, a receber R$ 22 milhões em verbas que seriam de direito do ex-jogador.

Ao longo dos últimos 20 anos, Romário vem sendo acionado na Justiça por uma série de dívidas milionárias — em 2009, um imóvel no condomínio Golden Green foi leiloado por R$ 8 milhões para pagar um credor. Empresas e pessoas físicas que cobram o senador na Justiça costumam ter dificuldades de encontrar patrimônio registrado em seu nome.

Há dois anos, Romário havia transferido para a própria irmã, Zoraidi Faria, bens como uma lancha, um Porsche e uma casa na Barra da Tijuca. Um levantamento feito na ocasião mostrou que o senador e duas de suas empresas deviam pelo menos R$ 36,7 milhões a União, a outras empresas e a pessoas físicas.

Nos últimos meses, o advogado Luiz Sérgio de Vasconcelos Júnior passou a ter direito sobre o patrimônio de Romário a partir de dois movimentos. O primeiro diz respeito a um acordo com o Vasco para o recebimento de R$ 15,1 milhões de dívidas da época em que Romário atuou no clube.O segundo movimento deu-se na briga com uma empresa que cobra a dívida dos tempos do Café do Gol, restaurante aberto nos anos 1990 por Romário.

Últimas notícias