Justiça nega pedido de prisão de advogado suspeito de matar empresária

Aldemir Pessoa foi flagrado por câmeras de segurança agredindo Jamile de Oliveira Correia, em Fortaleza (CE)

Arquivo pessoalArquivo pessoal

atualizado 20/09/2019 8:47

A Justiça do Ceará negou o pedido de prisão temporária do advogado Aldemir Pessoa. Ele foi flagrado agredindo a namorada, Jamile de Oliveira Correia, 46 anos, momentos antes de a empresária aparecer morta no apartamento dela, em Fortaleza (CE). A Polícia Civil suspeita que ela tenha morrido após levar um tiro, no dia 29 de agosto.

Inicialmente, o caso era tratado como suicídio. No entanto, as gravações onde Pessoa aparece agredindo a mulher dentro do carro o colocaram como suspeito de ser o autor do assassinato.

O pedido de prisão, feito pela Polícia Civil, foi negado pela 4ª Vara do Júri de Ceará. Em entrevista ao G1, a defesa do advogado manteve a tese de que a empresária teria atentado contra própria vida e disse, ainda, que Pessoa tentou evitar que a mulher efetuasse o disparo, sem sucesso.

Imagens

No flagrante feito pelas câmeras de circuito interno do prédio onde Jamile morava, é possível ver que Aldemir move os braços em direção à companheira e dá um murro nela no estacionamento. Em outro momento, no elevador do edifício, a empresária parece impaciente e, logo em seguida, retira a aliança do dedo.

Minutos depois, o filho de Jamile, 14 anos, aparece arrastando a mãe ferida para dentro do elevador. Ele é tido como testemunha. A polícia suspeita que o namorado queria ficar com os bens de Jamile, pois ela possuía um patrimônio alto, deixado pelo ex-marido falecido.

Últimas notícias