Justiça manda prender médico por morte de paciente no RJ

Lilian Calixto passou por intervenção estética feita por especialista conhecido nas redes sociais como "Doutor bumbum"

Reprodução/YoutubeReprodução/Youtube

atualizado 17/07/2018 9:11

A Justiça do Rio de Janeiro decretou prisão temporária do médico Denis Cesar Barros Furtado, 45 anos, e de sua mãe. A decisão foi tomada durante plantão judiciário no inquérito policial responsável por apurar a morte da bancária Lilian Calixto. Ela viajou de Cuiabá (MT) ao Rio de Janeiro para submeter-se a procedimento estético feito pelo especialista. As informações foram divulgadas pelo jornal O Globo.

A mulher de 46 anos faleceu no domingo (15/7), após ser atendida pelo médico conhecido nas redes sociais como “Doutor bumbum” em cobertura localizada na Barra da Tijuca (RJ). De acordo com parentes, a vítima fez a viagem com o objetivo de aplicar silicone nas nádegas.

Segundo a reportagem, depois do procedimento, Lilian Calixto teve complicações e foi encaminhada pelo próprio especialista para um hospital particular próximo. Lá, ela chegou ainda lúcida, mas com taquicardia, sudorese intensa e hipotensão.

Em seguida, o quadro da paciente agravou e ela sofreu quatro paradas cardíacas. Após uma hora, a bancária morreu. A hipótese inicial sobre as causas da morte seria embolia pulmonar, em decorrência da aplicação do silicone, informou o jornal carioca.

Últimas notícias