Justiça de SP recusa denúncia de extorsão contra Najila Trindade

A acusação de fraude processual, no entanto, foi aceita pela juíza. Ela e o ex-marido têm dez dias para apresentar defesa por escrito

ReproduçãoReprodução

atualizado 29/09/2019 15:18

A Justiça de São Paulo rejeitou, na última sexta-feira (27/09/2019), denúncias oferecidas pelo Ministério Público do estado contra Najila Trindade por denunciação caluniosa e extorsão em desdobramentos das acusações de estupro e agressão contra Neymar, em inquérito que acabou arquivado. No mesmo dia, porém, foi aceita denúncia em desfavor da modelo e de seu ex-marido, Estivens Alves, por fraude processual. A informação é do portal Uol.

No caso de rejeição, o MP pode recorrer da decisão. Em relação à fraude processual, Najila e Estivens têm dez dias para apresentar defesa por escrito, entre outras providências. O processo está na 31ª Vara Criminal. A acusação de denunciação caluniosa se referia à denúncia de que Neymar teria praticado estupro e agressão.

O Ministério Público entendeu que Najila sabia da inocência do jogador e agiu para prejudicá-lo, portanto cometeu o crime citado. Porém a juíza Andrea Coppola Brião, da 30ª Vara Criminal, discordou. Já a denúncia por extorsão era referente à suposta tentativa de Najila de conseguir dinheiro junto ao pai do jogador em troca de seu silêncio.

Denúncia recebida
A juíza Fabiola Oliveira Silva, da 31ª Vara Criminal, decidiu que havia indícios de autoria e de materialidade do delito de fraude processual na denúncia oferecida pelo MP contra Najila e Estivens, por isso a aceitou.

A modelo e seu ex-marido teriam tomado atitudes que dificultaram as investigações tanto em relação à acusação de estupro quanto no caso do suposto arrombamento do apartamento em que ela morava.

Últimas notícias