Juíza nega prisão de bombeiro que atirou em atendente do McDonald’s

Juíza alega que reconhecimento fotográfico não seria o suficiente para realizar a prisão do bombeiro. Ataque foi registrado em vídeo

atualizado 09/05/2022 22:53

Bombeiro atira contra atendente do McDonald'sReprodução

A juíza Isabel Teresa Pinto Coelho Diniz, do plantão judicial, negou, na tarde desta segunda-feira (9/5), o pedido de prisão temporária do sargento do Corpo de Bombeiros Paulo César de Souza Albuquerque. Imagens da câmera de segurança de uma lanchonete do McDonald’s em Taquara (RJ) mostram o bombeiro agredindo e atirando no atendente Mateus Domingues Carvalho, de 21 anos.

O pedido de prisão foi feito pelo delegado da 32ª DP, Angelo José Lages Machado, que investiga o caso. Ele alegou que o gerente do estabelecimento, que estava no local e presenciou todo o ocorrido, reconheceu o atirador por meio de fotos e não teve dúvidas.

“A prisão temporária é medida excepcionalíssima, devendo ser usada apenas quando houver elementos concretos de autoria. Compulsando os autos, constata-se que o investigado foi identificado por meio de vídeos que circulam nas redes sociais, e fotografias, também extraídas de redes sociais, não estando devidamente esclarecido no inquérito a origem de tais elementos probatórios, e a forma como foram obtidos”, disse a juíza plantonista Isabel Teresa Pinto Coelho Diniz.

A juíza alegou que o reconhecimento fotográfico não seria o suficiente para realizar a prisão do bombeiro.

“Embora as investigações apontem a autoria delitiva na direção do investigado, o reconhecimento fotográfico fragiliza os elementos necessários para a decretação de sua prisão temporária. Por tais razões, indefiro, por ora, o requerimento de prisão cautelar temporária formulado pela autoridade policial”, afirmou na decisão.

Vídeo mostra momento de tiro em atendente do McDonald’s após discussão.

Ataque no drive-thru

O caso aconteceu por volta das 2h. Segundo testemunhas, um homem fez o pedido pelo drive-thru ao funcionário Mateus Domingues Carvalho. No fim do atendimento, o cliente avisou que tinha um cupom de desconto.

O colaborador da lanchonete respondeu, então, que essa informação precisava ser dada no início do pedido. Insatisfeito, o cliente saiu do veículo e socou Mateus. Em seguida, entrou na loja e atirou no funcionário.

Em depoimento, José Kleber, gerente do estabelecimento, relatou que tentou impedir o bombeiro de atirar, mas foi obrigado a se afastar após ele sacar uma arma. Os amigos do agressor também tentaram impedir a ação, mas em vão.

Matheus foi alvejado na região do abdômen e levado ao Hospital Municipal Lourenço Jorge, onde segue internado. Ele perdeu um dos rins e parte do intestino.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias