Juiz nega liberdade a policial federal que abriu fogo em posto no PR

A audiência de custódia aconteceu na tarde de terça-feira (3/4), no Centro das Varas de Audiências de Custódia, em Curitiba

atualizado 04/05/2022 9:06

Colaboração/Banda B

Apesar de uma banca com quatro advogados, o juiz do Fórum Criminal de Curitiba negou liberdade e decretou prisão preventiva de Ronaldo Massuia Silva, de 43 anos, suspeito de abrir fogo em um posto de combustíveis no Cristo Rei, em Curitiba. A audiência de custódia aconteceu na tarde desta terça-feira (3/4), no Centro das Varas de Audiências de Custódia, Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR).

O advogado de defesa de Ronaldo, Nilton Ribeiro, comentou a decisão e disse que houve um pedido de liberdade para o suspeito. “Fomos averiguar de que forma foi decretada a prisão. O juiz não viu irregularidade na prisão e decidiu por decretar a prisão preventiva do Ronaldo. Nós pedimos a liberdade dele, e o juiz disse que neste momento não é possível. Não se descarta a liberdade em um momento futuro. Podemos entrar com um habeas corpus no Tribunal de Justiça”, comentou à reportagem.

Leia mais no portal Banda B, parceiro do Metrópoles.

 

Mais lidas
Últimas notícias