Jovem vai a júri em Goiás por matar ex com facadas até na boca

Rapaz de 19 anos é acusado de matar mulher depois de os dois tentarem reatar relacionamento em Goiânia, mesmo com várias brigas

atualizado 21/04/2021 14:43

Reprodução: Facebook

A Justiça de Goiás decidiu mandar a júri popular um jovem de 19 anos acusado de matar a facadas a ex-namorada, com diversos golpes na boca, tronco, braços e todo o restante do corpo dela, em Goiânia.

Ele vai responder por feminicídio por motivo fútil, com emprego de meio cruel e em razão da condição do gênero dela.

Preso preventivamente, Wallifer Xavier Pereira é acusado de matar, no dia 14 de junho de 2020, a ex-namorada Adriana Massena dos Santos, de 31. A data do julgamento dele ainda será marcada pelo Tribunal do Júri de Goiânia.

A decisão é do juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 3ª Vara dos Crimes Dolosos Contra a Vida da comarca da capital.

0

Em depoimento durante a fase de investigação, ele disse à Polícia Civil que teria agido apenas para se defender, depois de ser ameaçado e agredido por ela com capacete. No entanto, as investigações apontaram que o jovem matou a companheira porque não queria que ela fosse a uma festa.

Amava o jovem

Câmeras registraram o momento em que a vítima é golpeada várias vezes e, depois, arrastada pela rua. O processo conta ainda com depoimento de uma testemunha que relatou ter ouvido Adriana pedir para não ser morta e dizer que amava o rapaz.

De acordo com a decisão que mandou o jovem a júri popular, ele agiu friamente, ignorando o sofrimento físico da vítima, que, enquanto era golpeada, suplicou para que ele parasse.

O casal namorou por um ano e seis meses, mas, segundo o processo judicial, teria terminado devido ao histórico de agressões físicas praticadas pelo jovem.

Dia dos Namorados

Poucos dias antes do crime, segundo a investigação, os dois voltaram a se encontrar para tentar reconciliação. Eles até passaram o Dia dos Namorados juntos.

Na nova decisão, o juiz determinou que o réu também continue em prisão preventiva, que foi decretada no dia 22 de junho do ano passado.

O Metrópoles não localizou contato do advogado do jovem.

Últimas notícias