“Jovem não reagiu”: Justiça militar inocenta PMs acusados de estupro

Na decisão, o juiz afirmou que a vítima "nada fez para se ver livre da situação" e que "não reagiu"

atualizado 22/06/2021 19:02

Google Street View

São Paulo – A Justiça Militar de São Paulo inocentou dois policiais militares que foram acusados do estupro de uma jovem de 19 anos dentro de uma viatura em 2019, em Praia Grande, litoral sul de São Paulo.

De acordo com a decisão judicial obtida pelo G1, o juiz militar Ronaldo afirmou que a vítima “nada fez para se ver livre da situação” e que “não reagiu”.

Roth afirmou que o sexo foi consensual e absolveu um dos PMs, o que dirigia a viatura. O outro foi condenado pelo crime de libidinagem ou pederastia em ambiente militar, e cumprirá pena em regime aberto.

Aos investigadores, a vítima disse que, “sob emprego de força física”, foi obrigada a fazer sexo oral e vaginal com um dos policiais enquanto o outro dirigia o veículo com a sirene ligada.

Na decisão, o PM acusado de ter feito sexo com a vítima disse que não a ameaçou e que a prática do sexo ocorreu por iniciativa da mulher.

Mais lidas
Últimas notícias